CAPIBA
Lourenço da Fonseca Barbosa, Capiba, nascido em Surubim em 1904, filho de um mestre de banda, viveu e respirou música desde a infância.


EDGARD MORAES
Nascido em 1904, foi um dos mais importantes compositores pernambucanos. Criou mais de 300 músicas, incluindo frevos muito populares.


DUDA
José Ursicino da Silva, começou a tocar, adolescente, na lendária Sociedade 12 de Outubro, a Banda Saboeira.


J. MICHILES
José Michiles da Silva, é recifense de 1943. Aos 23 anos, ganhou seu primeiro concurso, com o belo frevo-de-bloco Recife, manhã de sol.


CARNÉRA
Felinto Nunes de Alencar, Carnera, compositor, trompetista. Fez parte do Bando Acadêmico do Recife, assumindo a direção do grupo, com a saída do amigo Capiba.


SEVERINO ARAÚJO
Dirige a Orquestra Tabajara desde 1937, é filho e irmão de músicos (um deles, José Araújo de Oliveira, o Zé Bodega, notabilizou-se como saxofonista).


LOURIVAL OLIVEIRA
Paraibano de Patos, nascido em junho de 1918, Lourival Oliveira é autor de alguns dos mais memoráveis frevos-de-rua da história deste gênero musical.


GETÚLIO CAVALCANTI
Getúlio de Souza Cavalcanti, nasceu em Camutanga, em fevereiro de 1942. Aprendeu a tocar violão aos 14 anos. Aos 15 compôs sua primeira música.


NELSON FERREIRA
Nelson Heráclito Alves Ferreira, nascido em dezembro de 1902, em Bonito. Nelson Ferreira foi um dos mais importantes e prolíficos compositores e músicos da história da MPB.


ZUMBA
José Gonçalves Júnior, nascido em Timbaúba, em outubro de 1889, foi dos poucos da velha guarda do frevo a não ter pai maestro), sua veia musical veio da mãe, pianista.


ADEMIR ARAÚJO
Recifense, de outubro de 1944. É sobrinho do lendário maestro Severino Araújo. Também conhecido como Formiga.


ALÍRIO MORAES
Falecido em 1999, tornou-se um bem-sucedido advogado, deixando a música em segundo plano. Primo do maestro Zé Menezes (de quem foi parceiro), é pai do cantor André Rio.


ANTÔNIO MARIA
Recifense, da classe de 1921, começou como locutor, redator, animador de programa de auditório da Radio Clube de Pernambuco.


CLÓVIS PEREIRA
O caruaruense Clóvis Pereira dos Santos (maio de 1932), tem uma longa folha de serviços prestados à música pernambucana, tanto popular quanto erudita.


EDSON RODRIGUES
Edson Carlos Rodrigues, é recifense de março de 1942. Formado em música e em jornalismo, Edson Rodrigues é exímio saxofonista. Maestro, arranjador, compositor.


GERALDO AZEVEDO
Nascido em Jatobá, na época distrito de Petrolina, em janeiro de 1945, Geraldo Azevedo de Amorim, herdou do pai o gosto pelo violão.


SPOK
É de outubro de 1970, nascido em Igarassu, mas criado em Abreu e Lima. Como a maioria dos maestros, passou por bandas de música, tocou bailes, em orquestras de frevo.


JOSÉ MENEZES
José Xavier de Menezes, nasceu em Nazaré da Mata, em 12 de abril de 1923. Vindo de uma família de músicos, começou aos 13 anos na banda de sua cidade natal.


IRMÃOS VALENÇA
João Vítor do Rego Valença e Raul do Rego Valença. Nascidos no Recife, respectivamente, em 1890 e 1894, tiveram intensa atividade cultural no Recife, a partir dos anos 20.


JOÃO SANTIAGO
João Santiago dos Reis, recifense, de março de 1928, é autor de uma dos frevos mais cantados no carnaval pernambucano, o Hino de Batutas de São José, do qual fez parte por vários anos.


LUIZ BANDEIRA
O versátil Luiz Bandeira é recifense, de dezembro de 1923. Sua vida profissional começa na Radio Clube de Pernambuco, como violonista, radioator, cantor e compositor.


CLÓVIS MAMÉDE
Paulista de Santa Cruz do Rio Pardo, onde nasceu em 1909. Sonhei que estava em Pernambuco, gravado por Roberto Amaral e Clóvis Mamede e Sua Orquestra, em 1949, tornou-se um clássico da música pernambucana.
Frevos de Pernambuco
Quando Capiba afirmou que Pernambuco tem uma dança que nenhuma terra tem, poderia ter acrescentado também uma “música”. Ambos, nasceram e desenvolveram-se em Pernambuco. Nunca se conseguiu que brotasse em outra terra, ao menos com a autenticidade do que se faz no estado. Detalhes, nuanças há no frevo que “estrangeiros” não conseguem captar.